O poder e o valor de uma marca.

5 de agosto de 2020

A marca é uma representação simbólica e com o passar do tempo foi ganhando identidade, e passou a contar histórias, marcar gerações e até mudar o comportamento de consumo de uma categoria.

A marca é uma representação simbólica e com o passar do tempo foi ganhando identidade, e passou a contar histórias, marcar gerações e até mudar o comportamento de consumo de uma categoria.

Segundo Kotler as marcas são “nomes, termos, sinais, símbolos que, unidos, identificam produtos e serviços de uma empresa e os diferenciam de seus concorrentes.”

Hoje sabemos da transformação e do poder que as marcas possuem sobre as nossas decisões de compra e consumo.

Mas como se constrói esse valor? O mundo tem exigido que as marcas acompanhem as mudanças na mesma velocidade das transformações digitais. Que apoiem causas, que tenham posicionamento político, há algo de errado em ser neutro?

De acordo com a pesquisa da “Global Consumer Pulse” da Accenture Strategy, 83% dos consumidores brasileiros preferem marcas que defendem propósitos alinhados aos seus valores de vida. A pesquisa revelou também que 87% dos brasileiros querem mais transparência sobre a origem dos produtos, a questão de testes em animais, e as condições de trabalho de seus funcionários. Ou seja, o discurso e a prática devem caminhar juntos, pois o consumidor está muito mais antenado e mais rigoroso também.

A palavra da vez é inovação ou talvez adaptabilidade, com cenário de pandemia ou fora dele, o que se espera são valores, como se a marca fosse uma ‘persona’, esse conceito inclusive nunca esteve tão valorizado, com as marcas buscando cada vez mais as suas vozes nas mídias sociais e procurando inclusive se posicionar com o uso de influenciadores. Se é preciso adaptar a forma de entrega, a qualidade do produto, ou a experiência do serviço, essa tradução também deve estar clara nas formas, cores, e até mesmo na voz da marca. Ela vai ecoar e dobrar de tamanho e ainda assim precisa ser simples de ser lembrada.

A identidade visual vai refletir a sua personalidade, por isso é fundamental conhecer o seu consumidor, pois para se conectar com ele, será preciso usar a mesma linguagem e frequentar os mesmos lugares.

Posicionar uma marca, é criar um espaço estratégico na memória das pessoas. Unindo o lado emocional e reacional, sendo o lado emocional aquilo que o cliente deseja e o racional o que ele precisa de fato, ou seja, o que será entregue.

Uma marca pode ter essência, propósito, defender valores, falar sobre política, sobre meio ambiente, sobre igualdade social, pode ter características pessoais, ou ser a soma de tudo isso. Mas para que qualquer uma delas seja discutida ou lembrada, será preciso percorrer um certo caminho e saber conduzir muito bem essa história, e quem sabe ter milhões de seguidores ou até milhões de amigos.