Você sabe quanto custa abrir uma franquia?

10 de agosto de 2021

Este artigo contará os segredos de como e quanto custa para abrir uma franquia.

Sabemos que abrir um negócio do zero requer muitas etapas que, juntando a uma série de documentos necessários e pagamento de taxas e impostos, pode se tornar uma grande dor de cabeça para o empresário. Porém quando o empreendedor opta por abrir uma franquia ele pula parte do processo e já entra direto no operacional. Franquias são sinônimo de algo que já deu certo e, por isso, geralmente, têm mais chances de darem bons resultados.

Veja também, como começar a empreender?: https://blog.alugae.com/como-comecar-a-empreender/

Qual é o investimento inicial?

O capital necessário para abrir uma franquia depende do tamanho, modelo de operação, ramo de atuação, tipo de ponto comercial e a marca. Os investimentos são diferentes para cada franquia, mas, em um modelo tradicional, o aporte geralmente contempla:
– Máquinas;
– Equipamentos;
– Móveis;
– Utensílios;
– Projeto arquitetônico;
– Reformas;
– Marketing de lançamento;
– Despesas pré-operacionais;

– Capital de giro;
– Taxa inicial de franquia; 
– Estoque inicial.

Dependendo do segmento os investimentos podem variar, porém, uma taxa é comum a todos os negócios. A “taxa inicial de franquia” é o valor cobrado pela franqueadora pela concessão do uso da marca pelo franqueado.

Shopping Centers e Centros Comerciais

Se você tem a intenção é se instalar em um Shopping Center ou em um grande centro comercial, além das despesas iniciais, terá de arcar com mais um valor: a luva. O valor é pago para que o empreendedor possa instalar uma loja em lugares concorridos e dá ao locatário o direito de permanecer no ponto por todo o período do contrato.

Em alguns casos, quando a região não é tão concorrida, o shopping é novo ou o centro comercial possui um fluxo menor de pessoas, o locador costuma emitir contratos curtos para que o franqueado teste o ponto. Caso o negócio dê certo, é feita uma negociação para se ficar mais tempo no imóvel e, consequentemente, é cobrado o valor de luva e outras possíveis taxas.

Tributação de franquias

A tributação de franquias pode ser definida a partir do know how do franqueador e deve ser pensada de forma customizada para cada negócio. Listamos algumas opções de tributação que devem ser consideradas pelo franqueado e que farão toda a diferença no caixa da empresa. 

– Simples Nacional: Esse regime contempla as micro e pequenas empresas e oferece um tratamento mais simplificado, otimizado e mais barato. Pode ser escolhido por empresas com receita bruta anual de até:
– microempresas: R$ 360.000,00
– empresas de pequeno porte: R$ 4,8 milhões.  

Lucro Presumido:

Se a empresa não encaixa no Simples Nacional, obrigatoriamente ela deve optar pelo Lucro Presumido ou Lucro Real. A base desse regime é realizar o cálculo presumindo a receita bruta da pessoa jurídica, bem como as demais receitas que sejam sujeitas à tributação. Essa base é pré-fixada e pode variar de acordo com a atividade da empresa. A margem varia de 8% a 32%.

 Lucro Real: Esse tipo de regime é baseado no faturamento mensal ou trimestral da empresa.

Ele incide apenas sobre o lucro líquido obtido durante o período de apuração. Por essa característica, o regime evita a necessidade de a empresa arcar com um valor maior ou menor de impostos devidos. Optar pelo Lucro Real é uma decisão que vai exigir muita organização do financeiro.

Além de se preocupar com os tributos, o empreendedor deve considerar os encargos sobre a folha de pagamento, como 13º salário, INSS, FGTS e férias e outros. Se por ventura a franqueada venda importados, a lista de tributos aumenta: entram o Imposto de Importação (II), DIFAL e substituição tributária (a depender do Estado).

15 passos para abrir uma franquia.

Abrir uma franquia parece um processo complexo e nós vamos te mostrar que não. Após seguir esses passos você terá uma empresa para chamar de sua e começar a faturar.

1.Autoanálise de perfil e alinhamento de expectativas;
2. Avaliação de franquias como uma opção de investimento;
3. Primeiro contato entre franqueado e franqueador, seja por telefone, pessoal ou feira;
4. Escolha das oportunidades mais interessantes;
5. Análise de crédito do franqueado;
6. Entrevistas pessoais com o franqueador;
7. Recebimento e análise da Circular de Oferta de Franquia (COF);
8. Recebimento e análise do Pré-Contrato de Franquia (etapa opcional);
9. Recebimento e análise do Contrato de Franquia (dez dias, no mínimo, após o recebimento da COF);
10. Fechamento do negócio e assinatura do contrato de franquia;
11. Treinamento inicial do franqueado;
12. Recebimento dos manuais de franquia;
13. Abertura da empresa (CNPJ);
14. Treinamento inicial aos funcionários do franqueado;
15. Início da operação de seu negócio.

Agora que você já sabe o que fazer para abrir uma franquia, que tal montar o seu negócio em nossos empreendimentos de forma rápida e simples?
 

Acesse nosso site e encontre a melhor opção de ponto para o seu negócio:

https://www.alugae.com/